Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas de uma Vida Pouco Privada

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Da moda

Eu nunca fui de modas, quer dizer na adolescência fui, vestia basicamente o que todas as outras vestiam, dentro de um limite mais ou menos aceitável em termos de aspecto e preço.

Com o tempo comecei a ajustar o que vestia ao meu gosto e ao que me fazia sentir bem.

Actualmente acompanho as novidades de moda, sigo blogs de moda, e com essa informação faço o meu próprio estilo. Como é óbvio não gosto de parecer fora de moda, mas confesso que gosto muito de adaptar o que está on com o que eu tenho por casa e que gosto de ver em mim. 

Nunca deixei de usar calças à boca de sino, apesar de terem passado de moda, assim como, para já não vou deixar de usar skiny jeans porque estão a passar de moda.

Hoje, as calças à boca de sino voltaram e isso é bom, mas as cinturas subidas também voltaram e eu não gosto, por isso não vou usar, pelo menos para já.

Há modas que adoro e modas que detesto, há modas que me ficam bem e outras que me ficam muito mal. Há modas que se entranham e outras que estranham e muito. Há modas que demoro a aceitar e modas que nunca chego a usar.

E há modas que regressam e nos fazem muito felizes. Porquê?

Porque há coisas que guardo mesmo que se deixe de usar e eu decida deixar de usar, como é o caso das Adidas Superstar, tenho umas que devem ter quinze anos, são bordeaux e estão um pouco velhinhas, mas fiquei super contente quando se voltaram a usar e desde há uns meses para cá calço-as quase todas as semanas. Além de serem muuuuito confortáveis são também muito versáteis e actualmente ficam bem com quase tudo. Adoro.

Uma das modas que também quer regressar é o estilo rockeiro, recorrendo às botas estilo Dr. Martens. Também tenho umas lindas de morrer, que comprei com dinheiro que juntei durante dois anos, adorava-as, têm quase vinte anos e estão quase impecáveis. Mas não sei se consigo voltar a usar aquilo, eram pesadíssimas. Mas confesso que me identifico com o estilo rockeiro. 

O fundamental é sentir-me bem com o que visto e calço, mas é muito bom desenterrar qualquer coisa do armário que nos faz feliz e nos traz memórias.

 

02c6de6ec047cd4f5e64863cfe2aae79.jpg