Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Crónicas de uma Vida Pouco Privada

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Das músicas Infantis

Quando o Mini nasceu entrei em pânico com o facto de todos os brinquedos terem uma musiquinha lalala irritante. 

Lembro-me que na altura até sugeri à Chicco a colocação de uma entrada USB nos brinquedos para podermos colocar a musica que quiséssemos.

Sempre resisti com todas as minhas forças à introdução na nossa rotina diária de músicas lalala, leia-se música infantil. Não tenho puto de paciência, confesso. Filmes infantis eu vejo e até gosto agora música infantil mexe-me com o sistema.

Eu sei que os miúdos gostam e afins mas é pah desculpem lá, mas eu preciso de manter a minha sanidade mental e para isso preciso da minha música. Eles na escola cantam as músicas que quiserem e assim somos todos amigos.

Uma amiga minha dizia-me um dia, em viagem no carro dela, enquanto tocava o cd do "Avô cantigas" ou qualquer coisa do género, que eu ia acabar por me render. Até agora, o Mini com quase 4 anos e o Micro com quase 1 ano, em casa no carro e em todo o lado (como a Radio Comercial) ouvem a minha música, seja ela qual for.

Não, o Mini não canta Pearl Jam a plenos pulmões como vemos às vezes em videos no youtube e muitas vezes diz que não gosta e pede para mudar. Há músicas que gosta muito e pede para ouvir outra vez. No geral não gosta que eu cante (deve ser porque canto bem) e o Micro ouve qualquer coisa que dê para ele se abanar um bocadinho.

Eu sei que em muitas coisas no que se refere à educação não sou muito convencional mas também sei que é muito mais fácil ceder às pressões da sociedade e fazer a vontade ao mundo, vivendo segundo as teorias que estão escritas em mil e um livros(e eu já li uns quantos) e deixar-nos ir, é mais fácil eu sei que é, eu deixo-me ir em muitas coisas, rendo-me, mas noutras simplesmente não consigo. 

A música sempre teve um papel importante na minha vida e até ver não me arrependo de não ter o cd da "Xana Toc Toc" a tocar no rádio do carro.

 

3809c6a1bf3fb533b27d7282347d0bc5.jpg