Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma Vida Pouco Privada

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Coisas #25

FotoJet Collage.jpg

 

1 Coisa: O Mini começou a ter meditação na escola. Quinzenalmente, uma instrutora vem à sala e promove a prática da meditação adequada a crianças dos 3 aos 6 anos. Esta actividade faz parte do currículo do Jardim de Infância por isso é gratuita, sendo desta forma financiada pela autarquia. Antes de mais devo dizer que a instrutora é corajosa e que a autarquia está mais uma vez de parabéns por proporcionar este tipo de actividade aos alunos do concelho.

A primeira sessão correu bem, demorou foi um pouco mais que o previsto, imaginem porquê?  

Eu, como praticante de Yoga, achei uma excelente idea e apesar de, segundo a animadora os miúdos terem demorado muito tempo a acalmar, acho que é como todas as outras coisas, uma questão de hábito. E é muito importante crianças destas idades adquirirem este tipo de práticas. O Mini gostou muito o que ainda me deixa mais feliz.

 

2 Coisas: Pessoas, ainda não está tempo para mostrar os tornozelos, a sério, até Março guardem as sabrinas ok???

 

3 Coisas: Ontem à noite o Micro falou ao telefone com a educadora e com a auxiliar vezes sem conta. E não nós não lhe ligámos ele é que pegava num telefone de brincar que tem e dizia: "Tô Deti? Xau!"

 

4 Coisas: "This is Us" para ver e chorar até ficarem sem lágrimas. No fim podem-me agradecer.

 

 

 

5 Coisas: Tenho saudades de vestir só umas calças e uma camisola, de apanhar sol na cara e de não usar cachecol! Quando é que volta o bom tempo?

 

 

Little Things #19

 

* De manhã o pai sai de casa em direcção ao carro, chamando o Mini e o Micro. O Mini vai atrás dele, mas o Micro, que não tem muito bom acordar fica a chorar à porta, porque o pai não esperou por ele. O Mini olha para trás quando ouve o irmão a choramingar e volta pega-lhe na mão e diz: "Vamos, o pai não vai embora, ele vai connosco." E o Micro cala-se dá a mão ao irmão e vão assim de mão dada até ao carro. * 

 

Coisas #24

FotoJet Collage.jpg

 

1 Coisa: No sábado falei com a A e o R por Skipe. Foi giro, mas continuo com saudades e com vontade de pegar no D ao colo.

 

2 Coisas: É espantoso como o Mini têm evoluído nos últimos tempos. Hoje quis levar uma locomotiva a vapor que lhe ofereceram no Natal, para a escola. Disse-lhe que sim, mas que tinha de ficar na mochila porque os outros meninos provavelmente iam estragá-la e ele concordou, mas quando chegámos a educadora estava a dizer que os meninos podiam comunicar o que quisessem e ele vira-se para mim muito entusiasmado: "Mãe a Isabel está a dizer para comunicar, vou comunicar sobre a minha locomotiva, porque é a vapor!" E desapareceu pela sala adentro. 

Há dois meses só me largava depois de trinta abraços e beijos e ficava à entrada por uns 10 minutos.

 

3 Coisas: O Micro passa o dia a dançar, dança com a música do rádio, com música ambiente nos vários locais onde vai, com música da publicidade na televisão. Passa o tempo a abanar a anca e de braço no ar. Adoro!

 

4 Coisas: Hoje está um dia de sol magnífico finalmente.

 

5 Coisas: Há uns dias em conversa com alguém, apercebi-me de que não usava anéis, fios e afins desde o final do verão do ano passado. Por mais que mantenha a cabeça erguida e tente levar tudo na boa, há pequenos detalhes que ficam para trás, e eu tenho fica para trás, não vou ao ginásio desde novembro e ao Yoga também. Quero voltar mas acho que ainda não me sinto totalmente pronta, mas estou quase. Hoje já usei anéis ;) Baby Steps!

 

Do Vício nas Novas Tecnologias

Ultimamente o Mini assim que chega a casa pede o meu tablet para jogar um jogo de dragões que ele adora (e eu também gosto vá), entretanto assim que o pai chega e porque normalmente já fez tudo o que tinha a fazer no jogo dos dragões, pede o telemóvel do pai para jogar um jogo de skates que também adora. Só o deixamos ter um jogo em cada aparelho e quando quer outro jogo tem de desinstalar aquele que costuma jogar, no entanto comecei a achar que o vício estava a tornar-se demasiado evidente, e quando não o deixamos jogar pede para ver um filme, mais um vício. 

Como medida preventiva achei que devia de implementar algum tipo de regra para que pudesse jogar. Assim escolhemos uns quantos livros de actividades e desde o inicio da semana, quando chega a casa só pode jogar se primeiro fizer algumas actividades dos livros que escolheu (escolheu um para cada dia). Confesso que está a correr bem, vamos ver até quando, mas também aproveitei para criar a rotina de ter a responsabilidade pós escola, já que por mais que não concorde com os trabalhos de casa eles vão existir e é melhor que assim sem se aperceber se vá habituando a este tipo de actividade.

Na verdade eu não o posso censurar, lá em casa somos todos um pouco viciados em novas tecnologias, tanto eu como o pai, usamos muito o computador, tablet e internet.

Eu vejo séries a toda a hora e falo com montes de gente online, tenho grupos de amigas com quem mantenho contacto pelo menos semanal pelo WhatsApp, falo pelo KIK com estrangeiros com quem escrevo uma história online, tenho o blog, até no Facebook tenho grupos com quem falo regularmente. É mau? Talvez, mas temos todos de admitir que nos mantêm mais próximos, não conseguiria acompanhar o crescimento dos filhos dos meus amigos sem este tipo de contacto. 

Na realidade acabo por me sentir mais próxima destas pessoas, porque partilho com elas pequenos momentos que não conseguiria fazer sem estas plataformas. Muitas vezes este tipo de relação também nos ajuda nas relações diárias, falamos com aquele amigo que está mais longe mas sabe bem como nos alegrar ou desabafamos com aquela pessoa que até só conhecemos online por isso não temos vergonha de reconhecer certas coisas, recebemos um comentário no blog que nos faz acreditar que o que escrevemos vale a pena, recebemos uma foto do bebé da nossa amiga que nos faz sorrir. Tudo isto é real apesar de ser online.

Acabo por ser mais expressiva nos meus sentimentos online também. É muito mais fácil para mim dizer que adoro e que gosto muito com emojis do que cara a cara. Quando estou com alguém acho que falo mais com abraços e sorrisos e olhares do que com palavras, no entanto é mais fácil para mim dizer que não gosto ou que não concordo cara a cara do que online. Sim eu sei que sou uma pessoa estranha.

Isto tudo para dizer que não me espanta o vício do Mini no tablet e no smartphone já que eu também sofro do mesmo. No entanto não acho que seja uma coisa má. Tenho me apercebido que estou mais online durante a semana e ao fim de semana desligo um pouco, aliás muitas vezes desligo de todo. Porquê? Porque tenho os meus ao pé de mim, e eles precisam de toda a minha atenção.

Desta forma apesar de reconhecer o meu vício, acho que para já tenho a coisa controlada e por isso tentei controlar a situação relativamente ao Mini também. Vamos ver como corre!

FotoJet Collage.jpg

 

 

Do Nosso Natal

Finalmente o post sobre o Natal!

Este ano posso dizer que o nosso natal foi assim um pouco adoentado.

Basicamente estavam quase todos doentes, a mãe, a avó, o avô, a irmã, o pai obviamente. No entanto isso não nos impediu de comemorar-mos a noite de Natal como sempre fazemos, com uma mesa cheia do que mais gostamos.

Eu já disse milhões de vezes que adoro esta época do ano e poder vivê-la mais um ano com todos à mesa é o melhor que podia ter acontecido.

Na mesa principal tivemos as ostras e o berbigão como é tradição, também não faltou camarão e a tábua de queijos, terminado com o bacalhau que este ano estava assim para o seco porque a cozinheira queria fazer muita coisa ao mesmo tempo.

Na mesa dos doces, tivemos aletria para matar as saudades do Natal na casa do homem, os sonhos e as azevias de batata doce e claro o toucinho do céu. Convencer o Micro que não podia mexer naquilo tudo não foi simples mas conseguimos.

 

 

Tivemos de acelerar um pouco a chegada do Pai Natal porque a ala dos doentes não estava a aguentar a pedalada e por volta das 22h30 ouviram-so os sinos e as renas no telhado. O Mini correu lá para fora com o pai e quando voltou para casa, depois de só ter visto a pontinha do trenó, o Pai Natal já tinha passado, só comeu as bolachas, deixou o leite e esqueceu-se do saco dos presentes.

Como sempre a loucura de desembrulhar os presentes foi muita, mas deu aos adultos a oportunidade de soltar umas gargalhadas com os comentários de ambos os piolhos a cada presente que recebiam ou que entregavam.

O que interessa é que estávamos todos e espero que para o ano sejamos os mesmos, ou mais, à mesa a partilhar sorrisos, conversas e brindes a um dos dias mais iluminados do ano.

Das Nossas Mini-Férias em Londres

Mais uma vrz fomos de mini-férias, e foi óptimo.

Há já algum tempo que planeava fazer férias com os miúdos com a inclusão de uma viagem de avião. 

Felizmente a Ryanair faz promoções muito interessantes e numa das minhas pesquisas encontrei preços muito atractivos para Londres.

Já queria visitar Londres com os miúdos pela altura do Natal desde o ano passado, mas queria esperar que o Micro crescesse um bocadinho. Sempre disse que não era fã de viajar com miúdos de fraldas. Mas o Mini não tem culpa do irmão ainda ser pequeno e achei que o Micro já estava capaz de nos desenrascar-mo-nos com ele, por isso depois de fazer contas lá decidimos embarcar na aventura de viajar com dois putos pequenos, para um país estrangeiro, com uma moeda e língua diferente da nossa e com o recurso a transportes públicos. 

Em jeito de balanço admito que foi um bocadinho loucura, mas foi tão bom.

 

 

 

O tempo esteve mais ou menos, só apanhámos chuva um dia e estávamos abrigados quando choveu, os putos portaram-se melhor do que esperava, Londres continua incrível, as feiras de Natal são lindíssimas e caríssimas, esteve frio mas felizmente estávamos preparados, o hotel foi uma óptima escolha, a localização não era excelente, mas pelo preço e a proximidade do metro foi mesmo muito boa escolha. 

Viajar com miúdos pequenos é sempre diferente, desafiante e até um pouco loucura, quando usamos apenas metros e comboios que partem a horas certas e não esperam por nós. Sentimos na pele a angustia de perder um ou outro mais do que uma vez, mas optamos sempre por ter calma e esperar pelo resultado e correu bem.

 

 

 

Aprende-se muito com este tipo de viagens. 

Desde de que viajei com eles, sei que o tempo não estica.

Sei que por mais planos que faça, nunca conseguimos fazer aquilo que planeamos.

Sei que o carrinho é fundamental até para o mais velho.

Sei que tudo é muito mais complexo com miúdos, até o simples acto de entrar num autocarro.

Sei que crianças e comidas diferentes pode não ser uma boa mistura.

Sei que andar de qualquer meio de transporte mais do que uma a duas horas torna-se saturante, mesmo que seja de avião.

Sei que tudo demora muito mais tempo com eles.

Sei que em Londres não há assim sopa à venda em todo o lado.

Sei que não vale a pena tentar acelerar as coisas com eles, porque eles fazem tudo ao seu tempo.

Mas também sei que tudo tem outra luz e outra cor visto pelos olhos deles.

Sei que nestas viagens eles aprendem mais do que num mês de escola.

Sei que o meu coração se enche quando os oiço a falar com entusiasmo sobre a experiência que viveram.

Sei que eles acham que o que nós fizemos foi um espectáculo.

Sei que no futuro não se vão lembrar de muito, porque são muito pequenos, mas alguma coisa vai ficar de certeza.

 

 

 

Foram quatro dias, de museus, passeios a pé, feiras de Natal, Hyde Park com esquilos e tudo,de Cambridge, uma cidade linda, por que me apaixonei ao primeiro olhar e me deu vontade de voltar ainda antes de me ir embora, de comidas diferentes, noites muito bem dormidas, pequenos almoços à inglesa, sorrisos, sestas no metro e autocarro ou até mesmo às cavalitas do pai, muitas escadas com e sem malas, iluminações de Natal, muitos "Uau's" e muita excitação, muito cansaço e ceias no chão do quarto de hotel, muitos abraços e poucas fotos, porque com eles é muito complicado tirar fotografias.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E principalmente muita união, estarmos assim os quatro sozinhos num país que não é o nosso, mesmo que seja só a passear aproxima-nos muito, somos só nós, não está ali mais ninguém. Adorei!

 

Coisas #22

FotoJet Collage.jpg

 

1 Coisa: O Mini agora desenhar máquinas, máquinas para fazer de tudo um pouco. Não sei bem o que pensar sobre o assunto.


2 Coisas: Temos uma pequena árvore de Natal no quarto dos miúdos e o Micro aponta para ela sempre que as luzes piscam. Eu digo-lhe que é a árvore de Natal e ele repete "tatau"... Não sei bem se era isto que ele queria dizer...


3 Coisas: Cada vez gosto mais da minha cidade na altura do Natal. Este ano estamos ainda melhores que no ano passado e fico muito orgulhosa ;)

 

Natal 2.jpg

 

 

4 Coisas: Conheci o D, amei. É um fofo sorridente, com uns pulmões bem desenvolvidos. Os pais estão aprovadíssimos. Adorei ver alguém tão importante para mim tornar-se mãe. Uma mãe serena, atenta e carinhosa. Adorei! O Mini adorou ter os padrinhos por perto. Em resumo, foram 4 dias excelentes e sem duvida devíamos morar mais perto, eles fazem-nos falta.

Coisas #20

FotoJet Collage.jpg

 

1 Coisa: Há poucas coisas que me encham mais o coração, que ver o Mini e o Mcro a rir à gargalhada enquanto brincam juntos (está a acontecer com mais frequência e estou a amar!)!

 

2 Coisas: Eu sei que está na moda a comida sem gluten e sem lactose, sem conservantes, sem sal, sem açúcar, sem nada basicamente. Mas eu felizmente, pelo menos por enquanto posso comer essas cenas todas e a maioria das pessoas também podem, só deixaram de comer porque está na moda. Não me entendam mal, eu sei que infelizmente há muitas pessoas intolerantes à lactose ou ao gluten, aliás uma das minhas bff's andou anos com problemas de digestão até perceber que era intolerante à lactose. Mas confesso que não há pachorra para os extremismos... (isto foi só um desabafo de uma gaja com mau feitio não liguem...)

 

3 Coisas: O frio chegou e eu ainda nem tirei os cachecóis de baixo da cama.

 

4 Coisas: Hoje voltei finalmente a tomar o meu pequeno-almoço, sentada como deve ser, com tudo o tenho direito, já tinha saudades (devagarinho as rotinas vão voltando).

 

5 Coisas: Esta noite sonhei que já não precisava de passar a ferro os 20kg de roupa que jazem na cesta à entrada do meu quarto. Isto é para verem o que eu gosto de passar a ferro.

 

6 Coisas: O Mini agora diz que quer ganhar o milhão... não sei bem de onde é que esta conversa vem, nem se ele sabe o que é um milhão mas ele diz que quer ganhar porque depois vai para a televisão... Não sei que ria se chore...