Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma Vida Pouco Privada

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Do Dia de São Valentim

Não me lembro da última vez que fiz algo especial no dia de São Valentim.

Lembro-me dos tempos de liceu em que enviávamos cartas anónimas, aos rapazes por quem morríamos de amores e que geralmente eram os mesmos rapazes por quem as nossas amigas morriam de amores e esperávamos ansiosamente por receber pelo menos uma carta anónima que nos fizesse sonhar com um admirador secreto bem giro que nos queria namorar. 

Não me lembro bem se cheguei a receber alguma dessas cartas ou não, mas se recebi foi no máximo uma ou duas, não mais, e não causou impacto porque realmente não me lembro.

Depois dos tempos de liceu pouco me lembro das comemorações, se as houve, desse dia. Acho que cheguei a ir jantar com amigas e pensar que foi a maior loucura que fizemos porque foi quase impossível arranjar um local para jantar. E lembro-me bem de um dia de São Valentim relativamente traumático, onde um ex-namorado que ainda não estava bem apagado do meu coração ter aparecido em minha casa nesse dia com a desculpa magnífica que tinha algumas coisas minhas para me devolver. Foi uma das conversas mais difíceis da minha vida e nunca mais me esqueci. Na realidade o que ele conseguiu foi fazer-me regredir muitos meses na minha recuperação. Mas tirando isso, foi um dia que pouco significado teve para mim.

Desde que comecei a namorar com o meu homem, julgo que não saímos nesse dia para comemorar, às vezes faço um jantar diferente outras vezes não. Nunca valorizamos o dia e a única comemoração oficial que fazemos do nosso amor é no nosso aniversário, que por coincidência ocorre cinco dias depois do dia de São Valentim. De resto celebramos o nosso amor quase todos os dias (porque há dias que não há muitos motivos para celebrar :P), porque como comentei hoje com alguém, somos o casal mais informal que se pode imaginar.

Este ano pensámos os dois (great minds think alike!) que podíamos encomendar sushi e abrir uma garrafa de vinho, mas parece que não fomos os únicos com vontade de sushi e a fila no restaurante que costumamos encomendar era enorme e nem sei se estavam a aceitar encomendas com tanta gente que lá estava para jantar. Acabei por fazer uma massa com uns cogumelos frescos que tinha em casa e abrimos a garrafa de vinho para acompanhar. Jantámos os quatro, rimos e brincámos e jogámos jogos à mesa até o Micro pedir o "eitinho" e constatar-mos que já era hora deles estarem na cama. 

A sobremesa, foi patrocinada pelo comercio local, já que quem fizesse compras no comércio tradicional podia comprar o Doce do Amor por um preço simbólico.

 

 

 

Em resumo para mim acaba por ser um dia normal,mas em que tudo está mais caro e em que se torna impossível fazer coisas simples como encomendar sushi (coisa que fazemos muitas vezes). 

Mas confesso que gosto de toda a excitação que os miúdos fazem à volta do dia. Aqui em casa ambos levaram corações para a escola e ambos os locais estavam totalmente decorados a rigor. E as conversas ao final do dia eram sobre o dia de São Valentim.

E para o ano haverá mais corações de papel, mais Doces do Amor e mais jantares divertidos com putos bem dispostos e cheios de energia. Espero eu! 

    

Da Aventura de Acampar

Fomos de férias, quer dizer mini-férias, mais uma vez, mas o Sol não quis vir connosco.

A minha vida está assim um pouco em stand-bye desde o final de Agosto. Estes dias têm sido um pouco complicados e ultimamente a minha vida resume-se a casa, trabalho e hospital. 

Ás vezes sinto-me um pouco sem rumo e isso assusta-me.

Há já algum tempo que tínhamos falado, eu e o homem, em acampar com os miúdos. Tínhamos saudades de Aljezur e daquelas praias magníficas e gostávamos de oferecer essa experiência ao Mini. Adiámos esta pequena viagem o verão todo, porque o tempo passa rápido, porque o verão aqui em casa é sempre um pouco agitado, porque o homem não tem férias nesta altura do ano, porque entretanto o Micro resolveu ter uma convulsão, porque entretanto o meu pai foi internado de urgência e não sabemos quando voltará a casa, por tudo e mais alguma coisa. 

Como não sabíamos se realmente íamos conseguir, não combinámos, nem sugerimos esta hipótese a ninguém.

Na sexta-feira passada, depois de ir ver o meu pai, como faço quase todos os dias, vim para casa a pensar que os miúdos, à conta disto tudo, têm passado os dias fechados em casa e em conversa com o homem acabámos por decidir que era altura de fazer alguma coisa diferente, para eles, antes do inicio das aulas.

Desta forma, no sábado, depois do homem chegar do trabalho e de ter arrumado as coisas todas para levar, sem ter feito uma lista ou planeado nada para esta viagem, saímos em direcção a Aljezur ao som de Peral Jam como é óbvio.

Chegámos ao Parque de Campismo do Serrão, casa de tantas outras férias nossas em anos anteriores, faltavam 5 minutos para as 22h. E a recepção fechava às 22h. Como disse não foi muito planeado e achávamos que a recepção era até à meia-noite.

Montámos a tenda de noite, o melhor que conseguimos e na manhã seguinte percebemos que estava montada num caminho e não no local próprio para tal. Detalhes!

Foram dois dias óptimos, apesar do nevoeiro, os miúdos adoraram, o Micro talvez seja um pouco novo ainda para estas andanças, mas o Mini já se desenrasca muito bem. Houve birras como sempre, houve gargalhadas, almoços na praia, jantares no restaurante. Houve noites ao luar, houve perguntas e mais perguntas sobre os barulhos, as sombras, as pessoas, os balneários, as pulseiras, as chapas da tenda e do carro, as regras, as praias, e sei lá mais o quê. Tudo era novidade!

Como o nevoeiro continuou persistente, no domingo resolvemos fazer praia em Lagos, na Meia Praia, onde não havia nevoeiro mas sim um sol quentinho e água calma sem ondas para os miúdos brincarem e para nos fazer sonhar com o próximo verão, já que este está mesmo, mesmo no fim. 

Acho que correu bem, o Mini tem mais uma memória para contar, adorou dormir numa tenda.

Nós estávamos a precisar, eu estava a precisar, a minha cabeça estava a precisar e foi bom, muito bom. Espero repetir, na próxima com os R's por exemplo, já que o Mini passou o tempo a dizer que os amigos dele iam gostar muito de acampar numa tenda também (eu expliquei que tinha sido tudo em cima da hora, mas ele acha sempre que tudo é possível num instante, acho que isso é culpa minha).

Aljezur é e provavelmente sempre será um dos meus sítios favoritos neste país. Ir lá faz-me sonhar com uma vida de relax, daquelas em que vivemos dos rendimentos e não do ordenado, porque lá não seria fácil arranjar emprego, mas é como o meu local de cura e recuperação, o nosso local secreto, my favorite spot!

 

03.jpg

01.jpg

02.jpg

 

Do Verão outra vez!

Quando era miúda as férias eram enormes e de Julho a Setembro estávamos na praia todos os dias, de manhã até ao final do dia. Tenho muitas saudades desses tempos. Dos dias sem pressa, dos almoços na praia, dos finais de tarde com cheiro a maresia, das amizades de praia, dos banhos de mar às oito da noite. Era tudo óptimo. 

Tudo isto se repete actualmente e felizmente. Agora durante menos tempo e muitas vezes só partes do dia em vez do dia todo. 

Mas Verão, estando ou não de férias, desde há muito tempo que significa sair tarde da praia, casa cheia de amigos ou família de longe, jantaradas e esplanadas, só coisas boas.

Este ano não foi excepção e o nosso "hotel" já funciona e os amigos já começaram a ir e vir.

Este ano alguns não ficaram no "hotel" mas estiveram quase sempre connosco.

Os padrinhos do Mini até conseguiram fazer com que ele perde-se o medo do mar e agora já dá mergulhos e tudo. Estes momentos de partilha fazem-nos tão bem.

É por isto tudo que eu gosto tanto do Verão.

 

O bom do Verão são os mergulhos na água quentinha ou fresquinha dependendo da praia.

O bom do Verão é ficar maravilhado com a nossa costa.

O bom do Verão é ver os nossos filhos, a fazer amizades de praia como nós em tempos fizemos e com os filhos dos nossos amigos de praia de outros tempos.

O bom do Verão é ficar na praia até às nove da noite e jantar em qualquer sitio porque os horários e as rotinas nesta altura estão de férias.

O bom do Verão é receber os amigos que estão longe, em nossa casa e fazer com que eles se sintam em casa. 

O bom do Verão é conhecer praias novas e diferentes que são tão bonitas que nos provam que Portugal é magnífico.

O bom do Verão são as jantaradas com os amigos em que somos tantos à mesa que quase não temos loiça para todos.

O bom do Verão é beber gin na esplanada apesar de ter de ir trabalhar no dia seguinte.

O bom do Verão é o cheiro a mar e protector solar no corpo e no cabelo.

O bom do Verão é ver o pôr do sol na praia e ver as gaivotas a chegar para passarem a noite.

O bom do Verão é namorar nos poucos momentos que temos para nós.

O bom do Verão é aproveitar o calor e os dias longos para ser feliz.

O bom do Verão é viver sem pressa e aproveitar cada momento.

 

FotoJet Collageq.jpg

 

 

Do Modo Férias

Como já disse este ano as férias são assim um pouco estranhas. Mas é incrível como entro em modo férias e saio de modo férias em tão pouco tempo. É provável que entretanto isto dê mau resultado porque começo a acusar um ligeiro cansaço. No entanto estou a adorar estes curtos momentos em que consigo desligar. Venham mais e mais...

 

FotoJet Collagesapo.jpg

 

 

Coisas -#4

FotoJet Collage.jpg

1 Coisa: O Micro voltou à creche finalmente, depois de quase duas semanas em casa, vamos ver se aguenta uma semana...

 

2 Coisas: Há uns tempos atrás concluí que devia lavar roupa durante a semana, mas continuo a esquecer-me disso e continuo a ser engolida por montanhas de roupa ao fim de semana. Só por isso hoje vou lavar roupa.

 

3 Coisas: O homem faz anos amanhã e a prenda dele ainda não chegou, segundo o CTT tracking está na alfandega em Lisboa e deve lá ficar uns dias, porque aqueles senhores trabalham devagar... bonito!

 

4 Coisas: Já não vou ao cinema há mais de um mês, terça-feira quero ir ver não interessa o quê. E porquê terça? Porque o Cineplace tem promoção com o cartão Continente, fica a 4€ o bilhete.

 

5 Coisas: Ontem no ginásio fiz spinning em vez de máquinas, estou tão, mas tão em baixo de forma que morri ao fim de 10 minutos.

 

6 Coisas: O tempo melhorou e voltei a ir e vir a pé do trabalho passando pela escolinha do Micro. Adoro!

 

7 Coisas: Esta cena da hora ter mudado é simplesmente maravilhoso, é incrível tudo o que ainda tenho vontade de fazer depois de chegar a casa, especialmente esta semana que o tempo levantou um pouco.

 

8 Coisas: Descobri uma mercearia que tem fruta e legumes excelentes e a preços decentes, fiquei fã. Só é pena ser assim fora de caminho para mim, mas nada que não se resolva. Vale sem duvida a pena as voltinhas.