Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma Vida Pouco Privada

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Das resoluções para 2017

O balanço do ano 2016 já foi feito no post anterior e as expectativas para o novo ano que ai e vem também.
Então e as resoluções? Sim eu sei que todos fazemos grandes resoluções nesta altura do ano e depois não cumprimos nada, mas por acaso, acho importante registar os nossos objectivos. 
Em 2014 e 2015, até fui ao pormenor de criar um calendário com os prazos de concretização e tudo.
Não posso dizer que cumpri todos os objectivos pretendidos mas de facto ajudou-me a focar no que era importante.
Não acho que fazer uma grande lista seja a solução por isso este ano gostava de manter em mente dois objectivos concretos.
Manter e melhorar a minha rotina de yoga e ginásio à hora de almoço e escrever mais, escrever muito mais.
Quero muito que 2017 me traga tempo, disponibilidade e predisposição para estas duas actividades.
 

Do Novo Ano Que Ai Vem

O ano de 2016 não foi propriamente o mais feliz, pensando bem, foi dos anos mais difíceis de gerir emocionalmente.

Por muitas vezes senti-me perdida e confesso que ainda não estou totalmente recuperada de tudo o que aconteceu este ano.

A doença do meu pai, os sustos com a saúde do Miguel, os refugiados, a possibilidade de mais uma grande guerra, entre muitas outras coisas, como simples discussões familiares, situações no trabalho que nos deixam desconfortáveis, comentários que nos desvalorizam, pessoas que se revelam pela negativa, tudo isto acaba por se tornar um fardo grande para carregar sozinha. 

Este ano chorei mais vezes sozinha, no entanto também limpei as lágrimas mais vezes sozinha e também sei que não estou sozinha, por isso tenho força e vontade de ser a pessoa optimista, bem disposta e sorridente que sempre fui.

Na verdade apesar de tudo, sinto-me uma "Lucky Girl" porque tenho uma família unida à minha volta, um grupo de amigos magnifico, que está sempre presente, mesmo os que estão longe, um companheiro para a vida, que me dá a mão sempre que preciso de ajuda para me manter de pé e sem dúvida uns filhos maravilhosos, que apesar de me darem cabo da cabeça me fazem acreditar todos os dias que vale a pena ser quem sou e acreditar que vai tudo correr bem.

Por isso 2016 não foi um mau ano, foi só um ano difícil, que nos pôs à prova, mas nós superámos a prova, e rimos muito, viajámos em família e com amigos, experimentámos coisas novas, revivemos experiências e estamos aqui para mais um ano que de certeza vai trazer muitas alegrias e sorrisos consigo.

Não vou fazer grandes resoluções para 2017, mas sem dúvida que quero conhecer mais um país ou cidade, por isso quero viajar e tenho de refazer o jardim, é sem dúvida o principal objectivo para o novo ano.

Podes vir fazer-nos sorrir 2017.  

7138de3a567d1f68e3b97f3511cc2167.jpg