Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma Vida Pouco Privada

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Coisas #9

FotoJet Collage.jpg

1 Coisa: Verifico que não vou para nova, quando sei uma porrada de musicas decor, que estão a passar na rádio... M80. Pois...

 

2 Coisas: Estou bem fartinha, mas fartinha desta chuva. A sério... há um incêndio monstruoso no Canadá, pode ir chover para lá.

 

3 Coisas: Na sexta-feira passada tive 202 visitas aqui. Uauh! 

 

4 Coisas: As minhas fanfics já foram lidas por 1132 pessoas num site e 4094 no outro ;)

 

5 Coisas: Novidades do Mini: Mentir faz crescer o nariz!

 

6 Coisas: Depois de uma semana em casa o Micro voltou à escola, vamos ver por quanto tempo.

 

7 Coisas: Confesso que não foi um inicio de semana brilhante, ontem foi um dia blhac... quem manda... enfim, nem vale a pena e hoje continua a chover. É bom que isto melhore. Ok!!

 

8 Coisas: Sábado fui dançar, começamos a encontrar-nos uma vez por mês. Foi tão bom, mas tão bom. Adorei. Tenho nódoas negras nos joelhos, no ombro e nas costas ;) Happy!!!

 

Da Dança

Desde sempre que amei dançar. Em miúda nunca consegui fazê-lo à séria. Fiz ginástica e natação à séria, mas o resto foi mais para ter mais uma actividade. Experimentei de tudo um pouco, ballet, jazz, hip hop, funky e não sei mais o quê. Mas a minha paixão sempre foi contemporâneo e anos depois, já em adulta e a trabalhar entrei na loucura de pertencer a um grupo de dança contemporânea, com direito a espectáculos pagos e tudo, pelo comando de uma miuda maravilhosa que entretanto se tornou minha amiga também. Foram quatro anos excelentes com a pausa para o nascimento do Mini. Voltei a sentir a adrenalina de me apresentar em publico e subir a um palco é uma sensação extraordinária. Sem nos apercebermos criámos ali uma pequena família, com tudo o que as famílias têm direito, amor, partilha, alegrias, tristezas, tudo. 

A Patricia ensinou-me que sim, sou uma bailarina, mesmo que tenha abraçado essa "profissão" já tarde e a verdade é que amo dançar e tenho saudades dos joelhos cheios de hematomas e das dores nas costas e de sentir a musica no corpo e me entregar. 

FotoJet Collage.jpg

 

FELIZ DIA MUNDIAL DA DANÇA

* E não, não sou eu. I wish...