Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Crónicas de uma Vida Pouco Privada

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Espaço dedicado à vida pouco privada de uma família de quatro, mãe, pai, mini e micro, gerido pela mãe que tenta não se esquecer de ser mulher e companheira quase todos os dias...

Do ano novo

O Natal passou a correr como sempre e chegámos a 2019 quase sem dar por isso. 

Não pretendo listar desejos, nem resoluções, quero apenas lembrar a mim mesma, que tenho mais 365 dias, hoje 364, para viver da melhor forma possível. 

Quero amar mais, sorrir mais, escrever mais, aprender mais, olhar mais para mim, ser mais mãe dos meus filhos, mais companheira do meu homem, mais filha dos meus pais, mais amiga dos meus amigos, mais consciente do que me envolve, mais compreensiva, mais empática e mais cívica. Quero viver mais!

Das Tradições de Natal

Adoro o Natal!

Sempre adorei e sou uma entusiasta de toda a loucura que se prepara à volta do dia em questão. Gosto de cumprir algumas das tradições religiosas, cumpro muitas tradições pagãs e principalmente tento cumprir as minhas tradições. 

A vida é feita de momentos e memórias e desde que tenho os miúdos tento que o Natal seja sempre uma memória feliz, que seja lembrada por muitos anos.

A nossa cidade gosta de viver o Natal também. Além das tradicionais iluminações de Natal, temos uma "Aldeia dos Sonhos" onde há alces e ursos no bosque encantado,duendes em aldeias miniatura, pinguins num Polo Norte, uma Casa do Pai Natal, uma oficina dos brinquedos, uma pista de gelo, entre muitas outras coisas. Para abrir a época natalícia temos uma chegada do Pai Natal, e um conjunto de actividades durante o mês de Dezembro, sempre muito alusivas ao Natal e à família, não esquecendo da solidariedade.

Nós por cá nunca faltámos à chegada do Pai Natal, visitamos a aldeia dos sonhos quantas vezes conseguirmos, fazemos pelo menos dois passeios nocturnos para apreciar as iluminações de natal, vamos às missas da época, participamos na concentração de camisolas de natal para doar roupa e brinquedos que já não usamos a quem ainda os quer usar, e para terminar costumo ir ao concerto de Ano Novo.

Em casa a festa também é forte... 

Normalmente decoramos a casa, que incluí entre muitas outras coisas, árvore de natal e presépio, no primeiro fim de semana de Dezembro, mas este ano até foi mais cedo. 

Vemos filmes de natal, que cá em casa são normalmente da saga Harry Potter ou do Sozinho em Casa.

Lemos histórias de natal, antes de dormir.

Cozinhamos bolachas e doces para oferecer como presente.

Fazemos um jantar de natal só para amigos, com direito a casa cheia.

Preparamos um "manjar" para a ceia de natal, que depois é seguida da chegada do Pai Natal, que entretanto se ouve lá fora, levando os miúdos a correr para a rua, para quando regressarem verem que ele já deixou os presentes e despachou o leite e as bolachas que lhe deixámos, porque é mágico e muito guloso. 

Juntamos brinquedos que já não queremos e roupa que já não usamos para doar aos meninos que não têm. 

Embrulhamos presente ao som de musicas de natal.

E quando é esse o ano, rumamos a casa dos avós do norte para passar o Natal com os primos.

Eu já disse que adoro o Natal? 😉  

Do Carnaval

Já não me mascaro como me mascarava, já não vivo intensamente este dias como vivia, já não começo em Janeiro os preparativos para os fatos que vou vestir, mas continuo a adorar esta época do ano, contínuo a vibrar com o desfile e a música e acima de tudo, adoro passar aos miúdos o bichinho do Carnaval.

 

carnaval sapo.jpg

 

Tag de Natal

desenhos-de-natal-para-imprimir-16.jpg

Vi esta tag no blog da Gorduchita e decidi "roubar".

Aqui ficam as minhas respostas a estas 17 perguntas relacionadas com o Natal.

 

 1. Qual o teu filme de Natal preferido?

Quando era miúda era o "Sozinho em Casa" talvez por ser o que dava todos os anos, mas também porque era cómico e porque adorava as músicas que ainda hoje fazem parte da minha playlist de Natal. Agora acho que é a saga Harry Potter, especialmente os primeiros, a magia daqueles filmes faz-me sempre sonhar com o Natal e este ano até comecei a evangelizar os miúdos, no sentido de criar a tradição de serem estes os nossos filmes de Natal. Até agora estou a ser bem sucedida.

 

2. Já passaste um Natal num local com neve?

Não, com frio e gelo sim, talvez alguma neve na montanha lá ao fundo, mas nunca num local coberto de neve como o norte da Europa.

  

3. Onde costumas passar o Natal?

Em dois locais alternadamente, a sul com os meus pais e a norte com os pais do homem. Um ano a sul outro a norte.

  

4. Qual a tua música de Natal preferida?

São imensas, tenho 80 músicas na minha playlist de Natal, mas ultimamente as minhas preferidas são "Have yourself a merry little Christmas" na voz do Sam Smith e "All I Want for Christmas" na voz de Michael Bublé.

  

5. Quando abres os presentes?

Tento que seja sempre à meia-noite de dia 24.

  

6. Sabes todos os nomes das renas do Pai Natal?

Só sei mesmo o nome do Rodolfo. As outras têm nomes????

 

 7. Quais as tuas tradições de Natal?

* Jantar em família, quanto mais melhor, no dia 24

* Enfeitar a casa e embulhar presentes ao som de músicas de Natal

* Jantar de Natal dos amigos que são família lá em casa

* Quando a sul, comer ostras e berbigão na ceia de Natal e fatias douradas na manhã de 25, quando a norte, comer aletria e formigos

* Enganar os miúdos com o som do Pai Natal a chegar 

* Este ano espero iniciar a tradição do pijama de natal   

 

8. Árvore de Natal. Verdadeira ou Falsa?

Falsa.

  

9. Qual a tua comida natalícia preferida?

Não é bem de Natal, mas se estou a sul há sempre ostras e ADORO. Também gosto muito do bacalhau com broa.

  

10. Gostas mais de dar ou receber prendas?

Dar, sem dúvida. Especialmente aos miúdos.

  

11. Qual foi a melhor prenda que já recebeste?

Um walkman, embrulhado no papel mais feio que os meus pais encontraram, quando tinha 8 anos. Ainda hoje me lembro do embrulho e da alegria de receber aquele presente.

  

12. Qual o teu lugar de sonho para visitar durante a época natalícia?

Lapónia e Nova York (claro), mas qualquer sitio com muita neve, daquela que não dá para sair de casa, e a casa tem de ser de madeira, me bastava.

  

13. Embrulhas bem presentes?

Gosto de embrulhar em papel de jornal e tentar fazer uns laços bonitos.

 

14. Qual foi o teu melhor momento natalício até hoje?

Oh tantos, quase todos os natais que passei com os meus primos foram memoráveis, o primeiro natal de cada um dos miúdos também foi emocionante, no geral, eu adoro esta época, logo, são quase sempre memoráveis.

  

15. Quando foi que percebeste que o Pai Natal não existia?

Sei que foi cedo, porque a minha família nunca alimentou muito a história, mas não sei que idade tinha.

  

16. Cumpres as resoluções de Ano Novo?

Nah.

  

17. O que faz o teu Natal especial?

Família, amigos, lareira e casa quentinha.

 

 

Podem roubar ;)

Do Dia de São Valentim

Não me lembro da última vez que fiz algo especial no dia de São Valentim.

Lembro-me dos tempos de liceu em que enviávamos cartas anónimas, aos rapazes por quem morríamos de amores e que geralmente eram os mesmos rapazes por quem as nossas amigas morriam de amores e esperávamos ansiosamente por receber pelo menos uma carta anónima que nos fizesse sonhar com um admirador secreto bem giro que nos queria namorar. 

Não me lembro bem se cheguei a receber alguma dessas cartas ou não, mas se recebi foi no máximo uma ou duas, não mais, e não causou impacto porque realmente não me lembro.

Depois dos tempos de liceu pouco me lembro das comemorações, se as houve, desse dia. Acho que cheguei a ir jantar com amigas e pensar que foi a maior loucura que fizemos porque foi quase impossível arranjar um local para jantar. E lembro-me bem de um dia de São Valentim relativamente traumático, onde um ex-namorado que ainda não estava bem apagado do meu coração ter aparecido em minha casa nesse dia com a desculpa magnífica que tinha algumas coisas minhas para me devolver. Foi uma das conversas mais difíceis da minha vida e nunca mais me esqueci. Na realidade o que ele conseguiu foi fazer-me regredir muitos meses na minha recuperação. Mas tirando isso, foi um dia que pouco significado teve para mim.

Desde que comecei a namorar com o meu homem, julgo que não saímos nesse dia para comemorar, às vezes faço um jantar diferente outras vezes não. Nunca valorizamos o dia e a única comemoração oficial que fazemos do nosso amor é no nosso aniversário, que por coincidência ocorre cinco dias depois do dia de São Valentim. De resto celebramos o nosso amor quase todos os dias (porque há dias que não há muitos motivos para celebrar :P), porque como comentei hoje com alguém, somos o casal mais informal que se pode imaginar.

Este ano pensámos os dois (great minds think alike!) que podíamos encomendar sushi e abrir uma garrafa de vinho, mas parece que não fomos os únicos com vontade de sushi e a fila no restaurante que costumamos encomendar era enorme e nem sei se estavam a aceitar encomendas com tanta gente que lá estava para jantar. Acabei por fazer uma massa com uns cogumelos frescos que tinha em casa e abrimos a garrafa de vinho para acompanhar. Jantámos os quatro, rimos e brincámos e jogámos jogos à mesa até o Micro pedir o "eitinho" e constatar-mos que já era hora deles estarem na cama. 

A sobremesa, foi patrocinada pelo comercio local, já que quem fizesse compras no comércio tradicional podia comprar o Doce do Amor por um preço simbólico.

 

 

 

Em resumo para mim acaba por ser um dia normal,mas em que tudo está mais caro e em que se torna impossível fazer coisas simples como encomendar sushi (coisa que fazemos muitas vezes). 

Mas confesso que gosto de toda a excitação que os miúdos fazem à volta do dia. Aqui em casa ambos levaram corações para a escola e ambos os locais estavam totalmente decorados a rigor. E as conversas ao final do dia eram sobre o dia de São Valentim.

E para o ano haverá mais corações de papel, mais Doces do Amor e mais jantares divertidos com putos bem dispostos e cheios de energia. Espero eu! 

    

Do Nosso Natal

Finalmente o post sobre o Natal!

Este ano posso dizer que o nosso natal foi assim um pouco adoentado.

Basicamente estavam quase todos doentes, a mãe, a avó, o avô, a irmã, o pai obviamente. No entanto isso não nos impediu de comemorar-mos a noite de Natal como sempre fazemos, com uma mesa cheia do que mais gostamos.

Eu já disse milhões de vezes que adoro esta época do ano e poder vivê-la mais um ano com todos à mesa é o melhor que podia ter acontecido.

Na mesa principal tivemos as ostras e o berbigão como é tradição, também não faltou camarão e a tábua de queijos, terminado com o bacalhau que este ano estava assim para o seco porque a cozinheira queria fazer muita coisa ao mesmo tempo.

Na mesa dos doces, tivemos aletria para matar as saudades do Natal na casa do homem, os sonhos e as azevias de batata doce e claro o toucinho do céu. Convencer o Micro que não podia mexer naquilo tudo não foi simples mas conseguimos.

 

 

Tivemos de acelerar um pouco a chegada do Pai Natal porque a ala dos doentes não estava a aguentar a pedalada e por volta das 22h30 ouviram-so os sinos e as renas no telhado. O Mini correu lá para fora com o pai e quando voltou para casa, depois de só ter visto a pontinha do trenó, o Pai Natal já tinha passado, só comeu as bolachas, deixou o leite e esqueceu-se do saco dos presentes.

Como sempre a loucura de desembrulhar os presentes foi muita, mas deu aos adultos a oportunidade de soltar umas gargalhadas com os comentários de ambos os piolhos a cada presente que recebiam ou que entregavam.

O que interessa é que estávamos todos e espero que para o ano sejamos os mesmos, ou mais, à mesa a partilhar sorrisos, conversas e brindes a um dos dias mais iluminados do ano.

Coisas #22

FotoJet Collage.jpg

 

1 Coisa: O Mini agora desenhar máquinas, máquinas para fazer de tudo um pouco. Não sei bem o que pensar sobre o assunto.


2 Coisas: Temos uma pequena árvore de Natal no quarto dos miúdos e o Micro aponta para ela sempre que as luzes piscam. Eu digo-lhe que é a árvore de Natal e ele repete "tatau"... Não sei bem se era isto que ele queria dizer...


3 Coisas: Cada vez gosto mais da minha cidade na altura do Natal. Este ano estamos ainda melhores que no ano passado e fico muito orgulhosa ;)

 

Natal 2.jpg

 

 

4 Coisas: Conheci o D, amei. É um fofo sorridente, com uns pulmões bem desenvolvidos. Os pais estão aprovadíssimos. Adorei ver alguém tão importante para mim tornar-se mãe. Uma mãe serena, atenta e carinhosa. Adorei! O Mini adorou ter os padrinhos por perto. Em resumo, foram 4 dias excelentes e sem duvida devíamos morar mais perto, eles fazem-nos falta.